JAY-Z e o caminho menos trilhado

Jay-Z-Reasonable-Doubt

“Duas estradas divergiam num bosque e eu peguei a menos andada. Isso fez toda diferença.”

É impossível não ligar o trecho final do poema “The Road Not Taken” de Robert Frost à construção da música Regrets, de Jay-Z, já que o rapper do Brooklyn percorreu justamente o caminho menos trilhado, realizando uma música que fugia do arquétipo delineado pela maioria dos rappers em relação aos gangsters/criminosos.

Grande parte dos MC’s pintava em suas músicas a imagem do gângster/criminoso como alguém frio, calculista, capaz de realizar qualquer tipo de atrocidade para manter a credibilidade nas ruas e conseguir atingir seus desejos e objetivos, consequentemente a imagem que tínhamos dos gangsters era da ‘casca’ utilizada por eles, ou seja, a de alguém imponente e intocável. Jay-Z preferiu ir na contramão, explorando o interior e as fragilidades dos gangsters/ criminosos, desvelando seus respectivos medos, anseios e arrependimentos, consequentemente através de suas rimas o ouvinte adentraria no âmago daqueles em que só conhecíamos a ‘casca’.

Regrets se concentra em três histórias diferentes, todas narradas em primeira pessoa, fornecendo um realismo maior ao ouvinte, sendo que na primeira das histórias acompanhamos um chefão do crime observando de sua BMW um de seus aprendizes/traficantes em uma transação que pode não terminar nada bem, já que o comprador pode ser um agente disfarçado, o chefão com toda sua experiência tentar ler os olhos coreanos do comprador, mas eles são enigmáticos demais para saber realmente se o homem é apenas um viciado em drogas ou um agente da polícia. Não demora muito para que o chefão perceba que policiais vigiam toda a situação que ocorre através de binóculos, consequentemente ele vai embora com sua BMW, porém cheio de aflição pelo que pode ter ocorrido com seus aprendizes/traficantes, o estresse toma sua alma, o suor percorre seu rosto e ele espera por uma ligação de seus aprendizes para saber se está tudo bem, por fim, o que vem em sua mente é o fato de não saber como viver com esses arrependimentos.

Jay-Z em sua primeira estrofe já consegue dar um caráter mais profundo ao chefão do crime, mostrando seus medos e incertezas, explorando uma situação capaz de mexer com esses homens intocáveis e imponentes, definitivamente o MC construiu uma narrativa de grande poder introspectivo.

Na segunda história, acompanhamos os passos de um jovem envolto no mundo do crime, sua preocupação com a mãe é grande, já que ela vive com o coração acelerado e também chora constantemente com medo pelo que possa ocorrer com o jovem. Em certa situação, ele está com uma arma na mão apontando para alguém encurralado, o nervosismo percorre seu corpo e suas mãos tremem, ele não quer atirar, porém é tarde demais para voltar atrás… Por fim, assim como o chefão da primeira estrofe, o que surge em sua cabeça é o fato que ele deve aprender a viver com esses arrependimentos.

É interessante notar que nessa estrofe Jay fala sobre os familiares dos que estão no mundo do crime, especificamente a mãe, desse modo, além dele explorar os sentimentos do criminoso, ele também aborda como se sentem aqueles que estão a sua volta, consequentemente o MC mostra como o caminho tomado por uma pessoa pelo mundo do crime, acaba se transformando numa bola de neve pronta para destruir aqueles que estão a sua volta.

Na terceira história, temos um clima nostálgico, em que o personagem, provavelmente um chefão do crime, rememora pessoas que cresceram com ele e já partiram, um fato que acaba pesando e muito na decisão de não exterminar um de seus inimigos, ainda que as pessoas a sua volta sugiram para que ele seja implacável nos negócios, seu lado mais humano acaba prevalecendo, além disso, ele está perturbado demais para carregar o peso de mais uma morte em sua consciência. Após o término da estrofe, surgi novamente o refrão salientando a necessidade de saber aprender a viver com esses arrependimentos, um tipo de regra que através das estrofes de Jay-Z percebemos que nenhum dos personagens consegue seguir, já que o peso em suas respectivas consciências acaba falando mais alto, sendo que cada um deles não consegue se livrar dos tormentos que consomem suas almas.

Uma resposta para “JAY-Z e o caminho menos trilhado

  1. Na parte que você fala que ele ta com a arma apontada para alguém encurralado é na verdade ele narrando a experiencia que ele teve na infância de atirar no irmão dele que tava viciado em crack e tava vendendo as coisas da casa pra sustentar o vício.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s